Google+ Badge

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Por que a inveja atrapalha a carreira?

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br


É compreensível que ao longo da trajetória profissional, muitas pessoas tenham como inspiração outros talentos que podem ou não ser da sua área de atuação. Os admiradores se reportam em escritores, estudiosos que dedicam suas vidas a causas que revolucionam gerações, atores que despertam aquilo que está no mais profundo Eu adormecido. Enfim, eu poderia utilizar aqui inúmeras linhas para tentar encontrar as razões que levam alguém a admirar outro. No dia a dia das empresas, isso também ocorre mais comumente do que imaginamos. Muitos talentos trazem, algumas vezes, uma admiração por outro colega de trabalho e em determinados momentos, de forma consciente ou não, passam a se espelhar em outros colegas. Até aí, tudo bem, pois é sempre bom seguir um bom exemplo. Contudo, a questão complica-se quando a pessoa passa a ver em no seu par ou em outros colaboradores uma "fonte de inveja". E como saber a diferença de quem admira alguém ou simplesmente deseja estar no lugar do outro por um sentimento egoísta? Confira abaixo, comportamentos que caracterizam um profissional invejoso!

1 - Fulano só tem sorte, apenas isso! - Quantas vezes essa frase já foi proferida por pessoas que convivem com você na sua empresa ou de outras organizações que você tomou conhecimento? Se você somar os dedos das mãos e dos pés, talvez não seja o suficiente para contabilizar o número de indivíduos que constantemente fazem esse tipo de comentário, quando vê alguém receber "parabéns" por um projeto bem executado. Se apenas sorte contasse para que um profissional se destacasse numa organização, veríamos os "reclamões" usando trevos de cinco folhas, pés de coelho para atrair bons fluídos. Não sou quem acredita na sorte, mas empenho e competência fazem o diferencial.

2 - Alguém deve ter ajudado fulano a fazer esse trabalho! - Se o talento realizou um trabalho e, em algum momento, contou com a ajuda de outro colega é porque, no mínimo, ele sabe trabalhar em equipe e soube buscar ajuda no lugar certo, junto à pessoa mais indicada. Isso não desmerece o profissional, pelo contrário. Mostra que ele está aberto a ouvir a opinião dos demais e receptivo a trocar conhecimentos.

3 - Eu faria mil vezes melhor, só não fiz porque não quis aparecer! - Infelizmente, essa é outra frase que costuma ser dita em muitos ambientes de trabalho, quando um colaborador vê que seu colega realizou um bom trabalho que fez o diferencial. Oras, se poderia ter realizado um trabalho bem mais qualificado, por que não identificou o problema e antecipou uma solução para o gestor.


4 - O que? Fulano propôs uma solução? Isso não vai dar certo! - O profissional que se deixa contaminar pela inveja além de alimentar um sentimento negativo à sua própria saúde física e mental, perde a oportunidade de ter acesso a novos aprendizados que poderiam lhe valor boas ideias no futuro. Ele simplesmente nega-se às inovações e acaba tornando-se obsoleto.

5 - Não sei por que fulano não usa atalhos para fazer seus trabalhos! - Existem situações que as ferramentas dinamizam as atividades e fazem com que o profissional ganhe tempo para se dedicar a outras ações. Isso faz parte da melhoria da performance. Contudo, se a todo o momento as pessoas recorrem aos caminhos mais curtos e não buscarem novas alternativas, logo perceberá que algum gap passou a fazer parte da sua vida profissional e culminará por descobrir que necessita urgentemente correr atrás do tempo perdido para desenvolver novas competências. Nem sempre o caminho mais curto é a melhor alternativa, mas o invejoso não tem essa visão.

6 - Eu sei o suficiente e não vou perder tempo com modismos - As inovações surgem a todo o momento. O que hoje pode ser considerado eficaz para o negócio, em poucas semanas talvez precise ser aprimorado ou substituído por outro processo. Quem sofre dos males proporcionados pela inveja, nem se desenvolve e ainda faz uma lista de críticas enorme para quem reconhece que precisa desenvolver ou aprimorar as competências que já possui.

7 - Esse chefe adora proteger fulano! - Não podemos negar que prediletíssimos, ainda, fazem parte da rotina de algumas empresas. Mas, a partir do momento em um profissional passa a acreditar que ele nunca alcançou uma posição melhor na empresa, porque ele foi preterido no lugar de outro, é preciso repensar se chegou a hora de mudar. Ou ele para de se torturar e conversa francamente com sua liderança ou, então, deve começar a cogitar a possibilidade de procurar uma nova oportunidade no mercado. Ficar apenas se lamentando, não o levará a lugar algum.

8 - Por que sempre ele e nunca eu? - Esse questionamento deixa de se tornar saudável, quando passa a ser usado como uma indagação que reporta a pessoa a sentimentos de raiva, de inveja de quem ganha destaque na empresa. Questionar a razão que "não me faz sair do lugar", pode ser um bom começo para uma mudança comportamental, que abrirá os caminhos para o autodesenvolvimento e, consequentemente, a conquista de uma melhor colocação no mercado de trabalho.

9 - Vou queimar a imagem dele! - A imagem de uma pessoa leva anos para ser construída e acreditem: há pessoas que preferem deixar-se para segundo plano, apenas na esperança de queimar o colega que se destacou através de fofocas, de comentários maldosos e até mesmo do uso "sem ética alguma" das redes sociais. Ou seja, ao invés de usar o tempo para construir algo positivo para sua vida, preocupa-se apenas em denegrir a imagem dos outros.

10 - Não vou nem tentar, a água só corre para o rio - Sabemos que os rios deságuam no mar, mas cada pessoa possui o livre arbítrio para traçar seu caminho. Logicamente que precisamos superar fases que nem sempre são fáceis, mas podemos parar para "respirar" e traçar um novo percurso. Acreditar que o sol só nasce para alguns já ultrapassa o caminho da inveja para minar no percurso do fracasso.
Postar um comentário