Google+ Badge

sexta-feira, 10 de maio de 2013

GOLPE DA “PIRÂMIDE FINANCEIRA” – ENTENDA O QUE É











Atraído por falsas promessas de altas rentabilidades, o investidor desinformado aplica seu dinheiro. Em vez de investir o dinheiro que recebe, o golpista ou o administrador do fundo usa parte do dinheiro de cada novo investidor para pagar os altos juros prometidos aos investidores mais antigos, ficando ele com o restante. O sistema começa a ruir quando a necessidade de aumento de novos investidores se torna insustentável, pois cada vez mais é preciso dobrar a base de clientes.

GOLPE DE PONZI – O PIONEIRO
Charles Ponzi, um italiano que emigrou nos EUA em 1903, lançou em novembro de 1919 um esquema de venda de notas promissórias garantindo taxa de juros de 40% no prazo de 90 dias. Em vez de investir o dinheiro que recebia o Sr. Ponzi usava parte do dinheiro de cada novo investidor para pagar os juros prometidos aos investidores mais antigos, ficando ele com o restante. Os investidores de Ponzi não sabiam como a coisa funcionava, sabiam, porém que algumas pessoas estavam ficando ricas com isso. Obviamente todos queriam ganhar o mesmo e, portanto pediam para entrar no sistema. Quanto, cerca de 7 meses mais tarde, o número de novos investidores cresceu demais (chegando a cerca de 20.000), as autoridades iniciaram a investigar e ficou praticamente impossível continuar. O sistema começou a ruir, também por falta de novas adesões em número suficiente para manter o esquema funcionando. Logo depois aconteceu o colapso com a intervenção das autoridades e a criação do termo "Esquema de Ponzi". Ponzi foi condenado a 5 anos de cadeia. Anos mais tarde tentou um novo esquema parecido na Flórida e foi condenado de novo. Terminou seus dias em 1949, num hospital para indigentes no Rio de Janeiro, para onde tinha se mudado.

CASO RECENTE – DESCOBERTO EM DEZEMBRO DE 2008

 "Ex-presidente da Nasdaq é preso por fraude de US$ 50 bilhões nos EUA
Por: Equipe InfoMoney, extraído em 12/12/08 - 08h50, do site InfoMoney (www.infomoney.com.br)
SÃO PAULO - O ex-presidente da bolsa eletrônica Nasdaq, Bernard Madoff, foi preso na última quinta-feira (11), acusado por um esquema de fraude que pode chegar a US$ 50 bilhões em perdas. De acordo com as acusações, o executivo estava envolvido em fraudes conhecidas como "esquema Ponzi", que consistem na formação de uma pirâmide de investidores, atraídos por promessas de alta rentabilidade, mas que na verdade são remunerados com o capital de quem adere ao investimento depois. Atualmente, Madoff atuava como conselheiro de investimentos em Wall Street por meio de sua empresa, a Bernard L. Madoff Investiment Securities, fundada em 1960, que tinha como foco o desenvolvimento de produtos voltados para o mercado financeiro. Uma das maiores fraudes
Pelas contas das autoridades norte-americanas, os prejuízos dos investidores com esse esquema podem ter chegado à US$ 50 bilhões. Em declaração, Madoff disse que essas acusações se tratam de "uma grande mentira" e que não foi nada mais que um "grande esquema Ponzi" a causa de todas essas perdas. Caso seja condenado, o executivo será responsável pela segunda maior fraude da história dos EUA, ficando atrás somente do caso da Enron, que teve prejuízos de US$ 63,4 bilhões, podendo pegar uma pena de até vinte anos de prisão e uma multa de até US$ 5 milhões".






Opinião

No sistema de pirâmide de primeiros envolvidos investem e conseguem lucrar recrutando outros participantes, porém, quanto maior o alcance da pirâmide, menos sustentável ela fica, pois ela depende dos investimentos posteriores. Sem novos investimentos, a grande parcela dos envolvidos fica no prejuízo. Vou um ano para ver o resultado de tudo isso, essas empresas não costumam durar muito tempo. Quem faz parte desse negócio não consegue enxergar isso como pirâmide, então não dá para discutir de forma racional com eles, normalmente já passaram por dezenas de negócios do tipo. Muitos são oriundos do HERBALIFE, MONAVIE, VITÓRIA, Hinode, AVESTRUZ MASTER entre outros negócios do tipo.
Postar um comentário