Google+ Badge

segunda-feira, 24 de março de 2014

Você Pode 'Tentar' ou Você Pode 'Fazer'

Por Reg Connolly

Você conhece a situação - você se encontrou casualmente com um antigo conhecido, conversam um pouco desajeitados sobre o que aconteceu desde a última vez que se viram, e ao se separarem, cada um tomando o seu caminho, um dos dois diz: "Vamos tentar nos encontrar para bater um papo."
Ou você pede para alguém fazer um favor e ele responde: "Certo, vou tentar fazer."
Quando usamos o "tentar"
Se eu fosse pedir para você: "Tente tocar a ponta do seu nariz com o dedo indicador", é provável que você ache estranho esse pedido, desde que não tenha nenhum problema físico. É fácil fazê-lo, não há nenhuma chance de fracasso, então por que eu usei o "tentar"?
No entanto, seria diferente se eu lhe pedisse: "Tente tocar o teto com o seu cotovelo" porque aqui a palavra "tentar" se encaixa – visto que não há certeza de que você possa tocar o teto - a maioria é alta.
O que podemos concluir a partir desses exemplos? Que só usamos a palavra TENTAR quando esperamos ou supomos um fracasso!
"Vou tentar fazer isso" significa "eu não vou lhe dizer que não posso ou que não vou fazer – mas não prenda a sua respiração!"
"Devemos tentar nos encontrar algum dia" significa algo como "achei que tinha me livrado de você – agora espero realmente nunca mais lhe ver!"
Mas isso é apenas uma figura de linguagem
Talvez. Mas figuras de linguagem, muitas vezes, dão fortes pistas do que está acontecendo sob a superfície. Elas podem ser uma forma de vazamento de emoções encobertas. Especialmente se você ouvi-las com atenção e tomá-las literalmente.
Palavras como "tentar" indicam o que realmente estamos pensando – e que, talvez, não queremos admitir nem para nós mesmos.
As palavras que você usa subvocalmente em seu diálogo interno afetam o seu estado de espírito. E as palavras que você usa em voz alta afetam tanto o seu próprio estado de espírito como o das outras pessoas.
"Tentar" cria dúvida - em sua própria mente e na mente dos outros - e sugere que é improvável que você seja bem-sucedido.
Substitua "tentar" por "querer"
Use por um tempo e decida por si mesmo se existe diferença no modo como você se sente e como as pessoas respondem para você.
Em vez de:
"Eu tenho que tentar e começar a me exercitar."
"Eu vou tentar parar de fumar."
"Eu vou tentar comer de forma mais saudável."
"Eu vou tentar ser mais gentil com as pessoas."
use "eu quero começar a... etc."
E se eu não tiver certeza de que serei bem-sucedido?
Está certo. Você não tem que ter certeza que vai ter sucesso antes de começar alguma coisa. Tudo bem se você tentar fazer e não obtiver sucesso.
"Tentar" é muitas vezes uma maneira de nos garantirmos contra os sentimentos negativos que associamos com o fracasso... "Afinal de contas, eu não disse que ia fazer - eu só disse que ia tentar!"
Tome a decisão de que está tudo bem se você não conseguir tudo o tempo todo e vai se sentir muito melhor dizendo "eu quero fazer..."
Cláusula de escape
O outro lado dessa moeda "tentar" é que, se você não disser "eu quero fazer...", você não estará totalmente empenhado em fazê-lo. Talvez você realmente não queira fazer isso. Talvez seja um pouco assustador e você realmente não acredita que possa fazê-lo.
De qualquer maneira você estará dando a si mesmo uma cláusula de escape – só para garantir.
Comprometer-se totalmente
Comprometa-se totalmente - ou nem se incomode. Se você não se comprometer totalmente provavelmente estará se enganando a si mesmo - ou procurando alguém para bode expiatório.
Você estará fingindo para si mesmo de que vai dar o seu melhor, quando, na verdade, estará se preparando para falhar, com uma desculpa pronta com antecedência para o fracasso.
Quando você se compromete totalmente, estará se armando com a crença de que terá sucesso - faça isso e já estará com meio caminho andado antes mesmo de começar.

Reg Connolly é Trainer e Master Practitioner de PNL, treinador de administração e de vendas.

Artigo publicado sob o título "You can either 'try' or you can 'do'" no site The Pegasus NLP Training.
Postar um comentário